Tabagismo: Saiba como esse hábito prejudica sua saúde

Você sabia que o hábito de fumar é uma das causas mais comuns de morte no Brasil? Entenda como é o processo de dependência e os efeitos do tabaco no organismo 

Fumaça e cheiro forte são algumas das características que lembramos logo que pensamos em cigarros, charutos e cachimbos. O hábito de fumar é um dos maiores problemas de saúde em todo mundo. 

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de oito milhões de pessoas morrem em decorrência do tabagismo todo o ano. Só no Brasil, são em média 200 mil mortes por ano, como mostram os dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca).

Mas, para quem deseja cortar este vício de uma vez por todas, temos boas notícias! Sempre é tempo de parar de fumar e, em alguns casos, os danos à saúde podem ser revertidos. 

O que é o tabagismo? 

O tabagismo, nada mais é que o nome técnico dado a dependência de nicotina, que está presente nas folhas do tabaco que são utilizados na produção de cigarros, charutos, cigarros de palha, narguilé, cachimbo, cigarrilha, entre outros.

A nicotina, dentro do nosso cérebro, faz uma conexão aos receptores neurais de recompensa, liberando hormônios que causam a sensação de bem-estar, como a dopamina. Esta liberação hormonal, aos poucos, deixa a pessoa dependente, com sintomas de abstinência e tem comportamentos compulsivos de consumo. Desta forma, a necessidade de fumar passa a ser física e também psicológica.

Além da nicotina, os cigarros e seus derivados possuem substâncias químicas tóxicas para o corpo humano, causando diversas doenças. Por exemplo, um cigarro comum conta com mais de 4.700 substâncias, sendo que pelo menos 70 são consideradas cancerígenas.

Como as pessoas começam a fumar? 

Embora a vasta divulgação sobre os malefícios que este hábito causa, outros vários fatores influenciam o início e a manutenção do tabagismo. Entre os principais motivos, estão:

  • Vida Social 

Ver amigos, familiares, colegas de trabalho e demais grupos sociais fumando, induz o início do hábito por conta da socialização. 

  • Estresse  e impulsividade 

O efeito da nicotina traz a sensação de calma e prazer. Segundo pesquisas, quase 50% dos fumantes alegam que fumam para aliviar o estresse, além de aumento do foco. 

Dados da Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) afirmam que homens são o grupo que mais consomem cigarros. No Brasil, o percentual de pessoas que fumam com mais de 18 anos é de  12,3% para os homens, enquanto as mulheres são de 7%. 

Efeitos do Tabaco 

O tabagismo é considerado a maior causa isolada de graves doenças. Entre as principais enfermidades relacionadas ao vício em tabaco estão: 

    • Doenças cardiovasculares – infarto, hipertensão, AVC, entre outras;
    • Câncer – mais comum são pulmão, boca, faringe, rim e esôfago;
    • Doenças respiratórias – bronquite, pneumonia e DPOC (enfisema pulmonar);
    • Doenças odontológicas – gengivite e periodontite. 

Como parar de fumar 

A partir do momento que a pessoa decide parar de fumar, é necessário buscar ajuda, principalmente se já apresenta sintomas graves de algumas doenças como falta de ar e tosses crônicas. 

O Ministério da Saúde possui o Programa Nacional de Controle do Tabagismo, que oferece tratamento gratuito para quem quer parar de fumar por meio de suas secretarias estaduais de saúde. Há ainda alguns programas oferecidos por hospitais e convênios.

O apoio de familiares, amigos e pessoas próximas também é fundamental, pois a maioria dos fumantes precisam de determinação e assistência para esta empreitada. 

A ausência súbita de nicotina gera a síndrome de abstinência, por isso, o tratamento eficaz para o tabagismo é ter uma estratégia terapêutica, com combinação de intervenções comportamentais e medicamentosas. 

Dá tempo de parar?

Sempre há tempo para mudar os hábitos! Pesquisas demonstram que parar de fumar antes dos 40 anos pode reduzir em 90% as chances de morte por doenças relacionadas ao tabaco.

Os benefícios começam a ser vistos após 20 minutos da cessação, quando a pressão sanguínea volta ao normal. Após 10 anos sem fumar,  o risco de infarto é igual ao das pessoas que nunca fumaram, o de câncer de pulmão também é reduzido à metade.

Dicas para facilitar o processo de parar de fumar:

  • Faça exercícios e se alimente bem 

Tenha ciência que a atitude de parar de fumar fará bem a sua saúde como um todo. Por isso, introduzir outros hábitos saudáveis em sua rotina é fundamental. Faça caminhadas quando estiver ansioso, inicie exercícios respiratórios simples, como puxar o ar e soltar lentamente e coma refeições equilibradas. Estas atitudes te ajudarão muito em todas as etapas. 

  • Não tenha cigarros em casa 

Apesar de ser óbvio, muitas pessoas precisam deste alerta. A vontade de fumar vai aparecer no início deste processo, por isso, evite ter cigarros de fácil acesso. Suas chances de recaídas serão bem menores. 

  • Evite alimentos e bebidas que estimulam a vontade de fumar

Muitas pessoas têm gatilhos no cigarro com uma xícara de café e até mesmo no consumo de bebidas alcoólicas. Por isso, afaste-se destes alimentos e bebidas que te associam com o ato de fumar.

Deixe um comentário